sexta-feira, 21 de abril de 2017

Desisti do Linux, de novo !


Antes que você, xiita do código livre levante a mão para atirar a primeira pedra, já vou avisando, eu to nessa luta a provavelmente muito mais tempo que você !

É claro que eu, nem você jamais vai deixar de usar o Linux por definitivo, ele está por todo lugar, no seu celular, no seu roteador nas páginas da web etc, o que eu estou falando aqui é onde ele realmente não tem mais jeito, no computador pessoal. Não culpo o Linux em si, pois ele é somente o kernel, eu culpo as distribuições que aparentemente não sabem o que estão fazendo, e ficam criando firulas e perfumarias e esquecem de acertar o básico, a funcionalidade.

Vou contar um pouco da minha história no Linux. Desde o início a experiência não foi boa, isso foi a que, mais ou menos a 15 anos atras quando a Red Hat distribuía gratuitamente as ISOs na internet, sofrivelmente (a internet naquela época não era nada boa) eu baixei uma ISO e o resultado não foi muito bom, por falta de experiência minha eu acabei apagando todos os meus arquivos e ainda assim não consegui fazer ele rodar. Desisti, alguns anos depois surge o Kurumin, apesar de cheio de bugs e bem espalhafatoso, funcionava ! Que emoção ! Mesmo assim, depois de uma surra com o grub, eu consegui deixar como Dual Boot com o Windows, pois eu ainda queria rodar joguinhos como HalfLife, Counter Strike etc, Wine ?? nem pensar que naquela época ia rodar jogos.

Quando eu desisti de investir em Hardware, eu comprei um XBox 360, pois a ideia de ter jogos pirateados sempre me atraiu, eu já tinha um console cheio de jogos, desisti de ter um PC com jogos, sendo assim, fiquei livre para começar a usar o Ubuntu. Velhos problemas voltam a assombrar, como que eles ainda não resolveram isso ? Menus estranhos, falta de driver para impressora, atualizações bugadas, compartilhamento de arquivos sofrível pelo Samba, e muitas horas foram perdidas, com um comando mais cabeludo que o outro, encontrado em fóruns que jamais iria encontrar de novo até que finalmente deixei o sistema do jeito que eu queria.

Não vou mentir, fui feliz com o Ubuntu por alguns anos, sempre nessa luta de sempre ter que lapidar o sistema, e muitas horas eram perdidas para isso, não ligava, eu até que gostava do desafio. Até que terminei a faculdade e arrumei um emprego. O tempo era curto, mas colegas do trabalho gostavam de jogar o multiplayer do HL2 depois do serviço pela internet, ficaram decepcionados que eu não tinha placa de vídeo boa pra isso, até que um deles me deu sua placa de vídeo antiga, só pra eu me enturmar. Foi ai que os meus velhos problemas com o Linux voltaram.

O Driver da ATI era sofrível, e terrível pra instalar (para Windows era só next netxt finish), tudo bem, culpa da ATI, mas já não tinha mais tanto tempo como antes pra ficar brigando pra compilar pacotes deb, para ficar sem sistema a cada tentativa falha de instalação de driver de vídeo, mesmo assim eu consegui, mas não por muito tempo. Para o meu azar, a versão LTS do Ubuntu já estava no fim, e com o fim do suporte, eu atualizei para a versão seguinte, só que aquele driver de vídeo da ATI não funcionava mais, e nem teria mais um novo. Ok Windows, você venceu ! e é claro, magicamente tudo funcionava muito bem e de primeira no Windows, era até gratificante, a única coisa que enchia o saco eram os Adwares e Spywares da vida, mas tudo tem seu preço.

Assim foi durante muitos anos, e sempre tudo muito simples, afinal de contas, eu preciso de simplicidade, não sou mais aquele adolescente que tinha a tarde toda pra ficar procrastinando para deixar o sistema do jeito que eu queria, até porque meu XBox 360 já tinha se tornado obsoleto e voltara a usar o PC como principal fonte de jogos comprados pela Steam (agora eu tenho dinheiro pra comprar joguinhos, olha que evolução !), mas eu gosto de desafios, esse ano eu resolvi, vou dar mais uma chance para o Linux.

Comecei pelo Ubuntu novamente, e os mesmos velhos problemas, até pra criar um simples atalho, pra compartilhar arquivo na rede, etc etc etc, tudo me forçava a usar comandos no shell que eu sinceramente não tenho mais cabeça pra decorar, mais ainda interface é confusa e pesada, ahh, nesse meio tempo eu comprei um notebook também além do PC Desktop, e adivinha só, o Ubuntu não consegue ajustar o Brilho da tela ! claro que isso tinha solução, mas novamente tinha que lapidar arquivos de configuração do xorg que sinceramente já não tenho mais saco pra isso. Tentei várias distros, a maioria é claro, um fork do Ubuntu, todas elas, todas, apresentavam algum problema, seja ela qual for. A que mais funcionou bem pra mim foi o Ubuntu Mate, brilho da tela do meu notebook funcionava legal, instalava a maioria dos programas que eu precisava, só o Steam, que precisava novamente de alguma lapidação, outras coisas também, mas enfim ... no fim acabou funcionando.

Recentemente comprei um jogo no Steam, promoção boa, sabe como que é, um tal de "Layers Of Fear". Desempenho péssimo ! o jogo nem é tão bonito assim, eu sei que minha placa de vídeo recente uma ATI HD7700 aguentava o tranco, imagino que seja o Driver nativo do xorg, baixo o driver proprietário da ATI, especificamente para o modelo da minha placa de vídeo e para a versão do Ubuntu que estava usando, pra variar uma instalação tosca compactada que tem que ser rodada via terminal, instalação terminada com sucesso, mando reiniciar e ... o sistema não sobe mais.

Todo trabalho de deixar o sistema do jeito que eu queria foi em vão ... simplesmente fiquei na mão com uma tela preta e quer saber, novamente ... Windows você venceu ! Tudo funciona bem novamente, vou no ninite.com listo os programas que mais uso, instala tudo sozinho, baixo o driver da placa de vídeo, next next finish, Steam funciona de primeira, "Layers of Fear" rodando liso, coloco o Avast só por garantia e aqui estou eu feliz da vida.

Desisti, a Canonical foi a empresa que mais chegou perto de criar um SO baseado em Linux que realmente seja funcional, mas chegar perto não é chegar lá. Ainda acredito no poder do linux para dispositivos móveis, roteadores, servidores em geral, mas para Desktop, se em todos esses anos ninguém conseguiu até agora fazer a coisa direito, assino embaixo que nunca conseguira.